quinta-feira, 7 de abril de 2011

PREVENÇÃO DE ACIDENTES NA INFÂNCIA


Os acidentes e as lesões decorrentes de violência vêm se constituindo, cada vez mais, em um grande problema de saúde pública no mundo inteiro. Eles figuram dentre as dez principais causas de atendimento médico nas emergências e podem ocasionar sérios danos ao organismo, podendo levar a lesões incapacitantes, comprometendo o crescimento e desenvolvimento da criança, ou até mesmo à morte.

Acidentes:

Segundo a OMS, é qualquer acontecimento inesperado, cujo resultado é o dano corporal identificável. Por menor que seja o acidente, pode causar danos físicos, perturbação do bem-estar e se não levam à morte, podem gerar incapacidade temporária ou permanente.

Convulsão:

São comuns na infância, principalmente durante os dois primeiros anos de vida;
Caracterizam-se por movimentos bruscos, súbitos e violentos, generalizados ou localizados, acompanhados de perda de consciência e seguidos por relaxamento muscular. Esses sinais podem ser precedidos por grito, piscar de olhos e/ou tração da cabeça para trás e, em alguns casos, eliminação de espuma pela boca.
Evitar a queda no chão; Afrouxar roupas; Retirar objetos que possam ferir (óculos, móveis); Proteger a cabeça da criança com as mãos, Manter a criança lateralizada; Tranqüilizar a criança a ao acordar; Se a convulsão persistir, encaminhar a criança ao pronto socorro.

NUNCA TENTE!!!
Evitar as contrações musculares, Reanimar com cheiros fortes; Oferecer água durante a crise;

Quedas:

Tipo de acidente mais comuns na infância.

Conduta:

Se a queda acarretou perda dos sentidos ou vômitos repetidos, procure assistência médica imediata.
Havendo ferimentos, lave o local com água e sabão e comprima firmemente em caso de sangramento.
Observe edema (inchaço), dificuldade para andar ou mexer os membros, choro freqüente, que podem sinalizar para a ocorrência de fraturas.
Em quedas de grandes alturas não mobilizar a criança.

Queimaduras:

Lesão por aquecimento das estruturas da pele.
Pode ocorrer pelo calor ou exposição direta ao fogo ou por exposição a produtos químicos:
Por fogo ou calor:
Se for de pouca extensão, resfrie o local com água fria imediatamente;
Envolva a queimada em plástico limpo;
Não use manteiga, pasta dental ou outro produto sobre o local;
Não fure as bolhas;
Não tente remover roupas;
Em caso de queimaduras extensas ou profundas, acione ou procure imediatamente atendimento médico.
Por produtos químicos:
Lavar imediatamente a área atingida;
Remover a roupa se estiver impregnada por substância química, caso não esteja aderida a pele;
Proteger com plástico bem limpo;
Levar com urgência ao pronto socorro.

Envenenamento:

A depender do produto ou medicamento, as reações podem variar muito, assim como as medidas a serem tomadas.
Sempre entre em contato com o serviço de emergência a fim de que orientações apropriadas sejam fornecidas. Informe o produto e, de preferência, tenha a sua embalagem ou rótulo.
Corpos Estranhos:
Ouvido:
Não tente remover objetos de superfície lisa (feijão, sementes, bolinhas);
Encaminhe a criança ao PS;
Nariz:
Manter a criança respirando pela boca, a fim de evitar que a mesma aspire o objeto;
Tampar uma das narinas e pedir que a criança assoe o nariz com muita força;
Caso não expila encaminhe ao PS.
Picadas de insetos:
Remover o ferrão;
Colocar compressas frias;
Evitar ruptura da lesão bolhosa;
Picadas de escorpião e aranhas;
Encaminhar ao instituto Vital Brasil

Estes são apenas alguns exemplos entre os vários acidentes que podem acontecer com crianças. A palavra de ordem é manter uma atenção redobrada e, no caso de acontecer algum acidente, além do socorro imediato, procure sempre um hospital ou centro de saúde.