sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

A beleza do hospital


Por muitas vezes eu ouvi falar que o hospital é um ambiente pesado e triste, pois acompanha a fragilidade e acontecimentos ruins na vida das pessoas.
Eu não penso assim, ao meu modo de ver a beleza do hospital se encontra exatamente nessa fase de transição que ocorre em nossas vidas neste momento, ele é capaz de reunir e aproximar famílias, é onde a vida começa e há beleza até quando a vida termina amenizando tantos sofrimentos.
A beleza não está nem na construção e tão pouco nos funcionários mais sim no espírito de auxilio e ajuda ao próximo.
E para vocês refletirem sobre a beleza do ambiente hospitalar vai aí um relato de uma professora minha em aula:
Certo dia uma moça que estava em fase terminal de um câncer após receber a visita de seus familiares acaba ficando pior, todos vão embora após o termino do horário de visitas e sua mãe fica no quarto (minha professora como enfermeira fica próxima auxiliando a mãe).
Vendo que os momentos finais da filha se aproximam ela abraça a moça a beija e diz:
-Filha olha o privilégio que você está tendo, quando você nasceu éramos só nós duas juntas e agora na hora que você irá partir Deus nos permitiu ser novamente somente nós duas... Eu te amo...
E a moça faleceu nos braços da mãe!
Existe no mundo uma cena mais bela que essa, o hospital é onde a vida se renova cercada de cuidados e carinho...

4 comentários:

Amiga do Cafa disse...

Ju,
a beleza está nos olhos de quem vê. No espírito.
Você é uma pessoa bonita. Por dentro e por fora.
Grande beijo !

Danilo disse...

Ju nossa principal função como enfermeiros é o cuidado, a maioria dos médicos oferecem a assistência curativa e vem como um fracasso quando não podem curar um paciente. Ai entra nossa principal responsabilidade como enfermagem de prestar um cuidado competente, qualificado e diferenciado ao fim da vida, a enfermagem e, especialmente, o enfermeiro, têm enorme potencial para aperfeiçoar esse cuidado e dar respeito e dignidade a esse paciente no final da sua vida.

Luciano disse...

LINDA ESTA PASSAGEM QUE NOS RELATOU JU.
ESTIVE POR DOIS DIAS ACOMPANHANDO MEU PAI EM UM HOSPITAL ONDE ELE ESTAVA INTERNADO EM UMA ENFERMARIA, BEM ENFRENTE AO NOSSO BOX HAVIA UMA SENHORA DE 83 ANOS QUE HAVIA SOFRIDO UMA QUEDA E SOFRERA UMA FRATURA NA BACIA. ESTA SENHORA ME ENSINOU MUITO EM APENAS DOIS DIAS, EU MESMO POSSO CONFESSAR QUE SENTI INVEJA NA VONTADE DE VIVER DESTA SENHORA, A TODO INSTANTE ELA ELOGIAVA AS ENFERMEIRAS DE PLANTÃO, DAVA SEU BOM DIA, BOA NOITE, AS ENFERMEIRAS QUE SAÍAM E ENTRAVAM NOS PLANTÕES SUBSEQUENTES. A TODO INSTANTE ELA SOLTAVA ALGUM ELOGIO A ELAS (SEU CABELO HOJE ESTÁ LINDO!) (QUE BRINCO BONITO VOCÊ ESTÁ USANDO HOJE) (VOCÊ ESTÁ MUITO SORRIDENTE HOJE, VAI VER SEU NOIVO?)
CONCORDO COM VOCÊ JU, O HOSPITAL PODE SER SIM UM LUGAR SOMBRIO FRIO MAS SE OLHARMOS DIREITINHO ENCONTRAMOS VERDADEIROS INCENTIVOS DE VIDA EM SUAS DEPENDÊNCIAS.
PARABÉNS.

Cristina Teti disse...

Belíssimos comentários! o hospital sim, pode e deve ser um local bonito, só depende de nós, trabalhadores, minimizar seus efeitos deletérios, tratando a todos com civilidade e assistindo a todos com qualidade e dedicação; mesmo no local mais humilde se houver, amor e dedicação, este se transforma num local mais formoso. Lembram da pobre casinha de Pat Adams, no filme o amor é contagioso?!
Com respeito ao trabalho de vocês de levar informação a nós profissionais da Enfermagem, Drª Cristina Teti, Enfermeira com certeza.