segunda-feira, 20 de julho de 2009

CASO 4- FALTA DE ORIENTAÇÃO


“No curso de enfermagem aprendemos, que a maior virtude de um enfermeiro é promover a orientação, pois um paciente bem orientado promove o autocuidado, facilitando assim grande conscientização, benefícios e independência do mesmo”.

Parturiente Q. admitida no hospital, 25 anos, 6 meses de gestação completos, marido refere que a mesma faz tratamento para epilepsia, trazida pelo SAMU em convulsões repetitivas, com 10 minutos de intervalo, causando assim a antecipação do parto, ela entra em coma e é feita uma cesariana as pressas para tentar salvar a vida do feto.
O RN (recém nascido) apresenta uma infecção, a mãezinha melhora é dada alta e o bebê permanece no hospital, para ganho de peso e administração de antibióticos.
Era o primeiro filho dela e seu marido já tinha uma idade avançada, 69 anos. A mesma era analfabeta e trabalhadora rural.
Encontro ela e o marido aos prantos na porta do berçário, perguntei o que havia ocorrido?
Ela chorando me explica, que seu bebê estava sofrendo um exame que dava choques e que poderia levá-lo a morte! Eu entrei em desespero, pois o que poderia ser isso?
Recobrei o juízo e perguntei como estaria sendo realizado esse exame? Ela me disse que tinha eletrodos espalhados pelo corpo do RN e que dão choques no coração!
Eu logo começei a rir de tanta felicidade, ela sem entender perguntou se eu estaria ficando louca.
Eu explico que o nome do exame é eletrocardiograma, e que ele serve para medir os batimentos cardíacos e que não causa risco de morte nenhum ao bebê.
Ela sorri e me abraça agradecida, visto que tudo foi uma confusão.
Essa historia teve um final feliz, pois mãe e bebê passam bem!

Então volto a enfatizar se a enfermeira orientasse a mãezinha, ela evitaria todo aquele sofrimento e transtorno desnecessário.

Essa é uma homenagem a uma amiga, agora distante!
Felicidades a você e sua linda família!

6 comentários:

Amiga do Cafa disse...

Existem muitas pessoas ingênuas e ignorantes precisando de esclarecimento. Bom que a mãezinha encontrou alguém disposto a ajudá-la. Tudo o que elas precisam , ás vezes, é de uma palavra amiga.
Feliz dia do amigo !

Dayane Mendes disse...

Parabéns Jú.
Não há dinheiro no mundo que gratifique o trabalho que vc faz e a experiência que vc tem com cada uma dessas pessoas. Que Deus lhe abençõe em dobro!
Bjos

Déia disse...

Oi linda, que legal seu blog! Que bom que existem pessoas como você que explica, orienta e tem um pouco de amor no coração! Hospital, é algo que nos assusta, nos deixa vulneráveis...e os médicos falam aquelas palavras difícieis.. e ficamos morrendo de medo...tudo parece um palavrão...
Vcs tão acostumados com isso, nós não!
Parabens por sua paciência e sua compaixão! bjs

Nícholas Fernandes Gimenes disse...

Oi querida! desculpe-me por demorar pra te responder.. ando na correria.. mas agradeço mto seus comentários, são sempre mtos gentis :)

bjos e um ótimo restinho de semana!

Nícholas Fernandes Gimenes disse...

ah e parabéns pelo blog! seus posts são mto esclarecedores e sua profissão é uma das mais belas que existe. O médico receita, mas quem trata o paciente é o enfermeiro e só uma pessoa iluminada assume essa função tão necessária qdo estamos fragilizados. Parabéns Juliana! :)

Helton Henning disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.